17 de novembro de 2005

Lee Konitz no ZAC

IM55609.jpg

A noite de ontem foi dedicada a rever ao vivo Lee Konitz, esse grande nome do saxofone alto, que tanto nos evocou a memória musical de Charlie Parker.

No âmbito do 37.º Festival Internacional de Jazz de Barcelona, Konitz apresentou-se num pequeno clube de Barcelona, o ZAC, que já foi discoteca e por isso faz lembrar o Spring Fellows, de Lisboa, com as suas colunas forradas de pequenos espelhos em forma de pequenos quadrados.

Casa cheia para ouvir este lendário jazzman, com preço único de 25 euros, dá que pensar.

Público inflamado por uma música dura, porque de um trio só de saxofone, contrabaixo e bateria se trata, e sem se poupar a aplaudir e a incentivar os músicos.

A proposta de Konitz foi muito simples: "vamos tocar os velhos standards, mas tentando fazer coisas novas". Desfilaram, assim, All the things you are, Body and soul, Solar e outros clássicos.

Jazz sem amplificação, 100% acústico, com um ar de clandestino. O ambiente deste clube, a fazer lembrar um speakesay, e o ar informal e descontraído dos músicos, deixaram no ar esta imagem.

As fotografias ficam para mais tarde...

Amanhã é dia de ouvir Glasper, a nova sensação da editora Blue Note, cujos discos já se encontram bem difundidos aqui por Barcelona, mas que a Portugal, um pouco como tudo, tardam em chegar.

2 Comments:

At sexta nov 18, 02:28:00 da manhã 2005, Anonymous Jam said...

Lee Konitz tamén estará mañá (11.18.05) en Santiago de Compostela, no Compos Jazz Festival 2005. Máis información no meu weblog.

 
At sexta nov 18, 12:35:00 da tarde 2005, Anonymous maria said...

Ora viva!. Já faziam falta as suas notícias. Música sem amplificação é mesmo um privilégio hoje em dia. Mesmo em espaços minúsculos, os decibéis enchem-nos os ouvidos e por vezes fico com a sensação de que a música já deixou de ser natural. Continue a dar notícias que serão sempre muito bem recebidas.

 

Enviar um comentário

<< Home


Site Meter Powered by Blogger