14 de abril de 2005

Não há saco pró saco!

JNPDI! quer lançar um repto a todos os blogs no sentido de nos ajudarem a passar palavra numa campanha ambiental contra o uso de sacos de plástico pelas lojas de discos.

"Não há saco pró saco" visa reduzir o recurso ao plástico como material para a entrega aos clientes de discos e outros produtos já embalados em plástico e suficientemente protegidos.

Esta campanha abrange essencialmente as grandes superfícies de distribuição de música e outros produtos similares:

- FNAC
- Worten
- Media Markt

O objectivo é que os blogs que assim o entendam divulguem este post e incentivem os seus visitantes a copiar o texto abaixo indicado, enviando-o posteriormente por e-mail às lojas mencionadas (tal como nós já fizemos hoje):

www.fnac.pt (enviar para recepcao.priorvelho@fnac.pt)
www.mediamarkt.pt (enviar para mm.benfica@media-saturn.com)
www.worten.pt (enviar a partir do site)

O texto é o seguinte:

Anualmente são consumidos a nível mundial mais de 4,000,000,000,000 de sacos de plástico, dos quais apenas 1% é reciclado. Só os EUA gastam anualmente 12 000 000 de barris de pétróleo no fabrico de sacos de plástico. Todos os anos morrem 100 000 animais marinhos devido aos sacos de plástico, que se estima chegarem aos 46,000 por cada milha quadrada de oceano. Além disso, o tempo estimado para que um saco de plástico se biodegrade é de 1,000 anos! Por isso já não há saco pró saco e eu digo não à utilização deste material nas lojas de distribuição de CD's, equipamentos informáticos e outros materiais já embalados de origem em plástico suficientemente resistente para os proteger. Nestas lojas incluo a FNAC, a Media Markt e a Worten. Não quero que a música que ouço contribua para poluir o planeta em que habito e por isso digo "Não há saco pró saco!". Mais informação em www.bizarrologia.com/jazz.html

Além disso, lançamos também o repto de que todos os que lerem esta mensagem comecem, tal como nós, a recusar, a partir de agora, nas lojas o tradicional saco de plástico.

Na Irelanda o respectivo Governo começou a aplicar um imposto sobre os sacos de plástico o que fez com que o consumo descesse cerca de 90% e todos os anos se consumissem menos 1,000,000,000 de unidades.

A opção é simples e começa em cada consumidor: Reduzir e reutilizar!

Não há saco pró saco!

NB: os sacos de plástico foram introduzidos nos supermercados no final dos anos 70, substituindo os tradicionais sacos de papel. Agora é fazer as contas aos que por aí andam... uns a voar, outros no oceano ou em terra.

Para mais informações:

http://www.deh.gov.au/industry/waste/plasticdebris.html
http://news.bbc.co.uk/2/hi/europe/2205419.stm

3 Comments:

At quinta abr 14, 09:36:00 da tarde 2005, Blogger Nuno Catarino said...

A loja Trem Azul dá um bom exemplo ecológico, ao distribuir sacos de papel.

 
At quinta abr 14, 10:00:00 da tarde 2005, Blogger Joao Moreira dos Santos said...

Por isso não a incluimos nesta lista de lojas.

;)

 
At quarta mai 18, 10:31:00 da manhã 2005, Anonymous Amaro Reis said...

Caros Amigos,

Caso não saibam todo o plástico pode ser reciclado. Tomara as empresas terem sacos para reciclar.
Nada se perde tudo se transforma.
Tem de existir é uma sensibilização para que as pessoas armazenem os sacos e os entreguem em locais convenientes.

 

Enviar um comentário

<< Home


Site Meter Powered by Blogger